Caldeira Teste hidrostatico em caldeiras nr-13, autoclaves. -- AAA MANIGLIA TESTE

SAC: SP - (011) 2456 9840 - (011) 2456 6395 *30 ANOS DE EXPERIÊNCIA*
Ir para o conteúdo

Menu principal:

 



Atenção: De acordo com a nova NR-13. Modificada pela Portaria 594 de 28/04/2014
Item: 13.3.11.4. O empregador deverá apresentar, quando exigida pela autoridade competente do órgão regional do Ministério do Trabalho e Emprego, a documentação mencionada nos itens (13.4.1.6), 13.5.1.6 e 13.6.1.4.
 
 
13.4 CALDEIRAS
 
Item:13.4.1.6. Toda caldeira deve possuir, no estabelecimento onde estiver instalada, a seguinte documentação
devidamente atualizada:

 
a) Prontuário da caldeira, fornecido por seu fabricante, contendo as seguintes informações: código de projeto e ano de edição;
 
Especificação dos materiais; procedimentos utilizados na fabricação, montagem e inspeção final; metodologia para estabelecimento da PMTA; registros da execução do teste hidrostático de fabricação; conjunto de desenhos e demais dados necessários para o monitoramento da vida útil da caldeira; características funcionais; dados dos dispositivos de segurança; ano de fabricação; categoria da caldeira;
 
b) Registro de Segurança, em conformidade com o item 13.4.1.9;
 
c) Projeto de Instalação, em conformidade com o item 13.4.2.1;
 
d) PAR, em conformidade com os itens 13.3.6 e 13.3.7;
 
e) Relatórios de inspeção, em conformidade com o item 13.4.4.14;
 
f) Certificados de calibração dos dispositivos de segurança.
 
13.4.1.7. Quando inexistente ou extraviado, o prontuário da caldeira deve ser reconstituído pelo empregador, com responsabilidade técnica do fabricante ou de PH, sendo imprescindível a reconstituição das características funcionais, dos dados dos dispositivos de segurança e memória de cálculo da PMTA.
 
13.4.4.3. As caldeiras devem obrigatoriamente ser submetidas a Teste Hidrostático - TH em sua fase de fabricação, com comprovação por meio de laudo assinado por PH, e ter o valor da pressão de teste afixado em sua placa de identificação.
 
13.4.4.3.1. Na falta de comprovação documental de que o Teste Hidrostático - TH tenha sido realizado na fase de fabricação, se aplicará o disposto a seguir:
 
a) para equipamentos fabricados ou importados a partir da vigência desta NR, o TH deve ser feito durante a inspeção de segurança inicial;
 
b) para equipamentos em operação antes da vigência desta NR, a critério do PH, o TH deve ser realizado na próxima inspeção de segurança periódica.
 
13.4.4.4. A inspeção de segurança  periódica, constituída por exames interno e externo, deve ser executada nos seguintes prazos máximos:
 
a) 12 (doze) meses para caldeiras das categorias A, B e C;
 
b) 15 (quinze) meses para caldeiras de recuperação de álcalis de qualquer categoria;
 
c) 24 (vinte e quatro) meses para caldeiras da categoria A, desde que aos 12 (doze) meses sejam testadas as pressões de abertura das válvulas de segurança.
 
13.4.4.5. Estabelecimentos que possuam Serviço Próprio de Inspeção de Equipamentos - SPIE, conforme estabelecido no Anexo II, podem estender seus períodos entre inspeções de segurança, respeitando os seguintes prazos máximos:
 
a) 24 (vinte e quatro) meses para as caldeiras de recuperação de álcalis;
 
b) 24 (vinte e quatro) meses para as caldeiras das categorias B e C;
 
c) 30 (trinta) meses para caldeiras da categoria A;
 
d) 40 (quarenta) meses para caldeiras especiais conforme, definição no item 13.4.4.6.
 
13.4.4.6. As caldeiras que operam de forma contínua e que utilizam gases ou resíduos das unidades de processo como combustível principal para aproveitamento de calor ou para fins de controle ambiental podem ser consideradas especiais quando todas as condições seguintes forem satisfeitas:
 
a) estiverem instaladas em estabelecimentos que possuam SPIE citado no Anexo II;
 
b) tenham testados a cada 12 (doze) meses o sistema de Inter travamento e a pressão de abertura de cada válvula de segurança;
 
c) não apresentem variações inesperadas na temperatura de saída dos gases e do vapor durante a operação;
 
d) existam análise e controle periódico da qualidade da água;
 
e) exista controle de deterioração dos materiais que compõem as principais partes da caldeira;
 
f) exista parecer técnico de PH fundamentando a decisão.
 
13.4.4.6.1. O empregador deve comunicar ao Órgão Regional do Ministério do Trabalho e Emprego e ao sindicato dos trabalhadores da categoria predominante no estabelecimento, previamente, o enquadramento da caldeira como especial.
 
13.4.4.7. No máximo, ao completar 25 (vinte e cinco) anos de uso, na sua inspeção subsequente, as caldeiras devem ser submetidas a uma avaliação de integridade com maior abrangência para determinar a sua vida remanescente e novos prazos máximos para inspeção, caso ainda estejam em condições de uso.





SAC:   SP -  (011) 2456 9840 (011) 2456 6395         |          maniglia@maniglia.com.br


Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal